Gramática On-line | Por Prof. Dílson Catarino

373 textos cadastrados no site da Gramática On-line

Anuncios Google
Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Ultima atualização: 14 NOV 2013

/ GRAMÁTICA

Orações coordenadas

Período Composto por Coordenação

O período composto por coordenação é formado por orações coordenadas, que são orações independentes sintaticamente, ou seja, não há relação sintática alguma entre as orações do período. As orações coordenadas, portanto, não exercem função sintática em relação a outra oração do período.

 

Há dois tipos de orações coordenadas:

 

Orações Coordenadas Assindéticas:

 

São as orações não iniciadas por conjunção coordenativa.

 

Chegamos a casa, tiramos a roupa, banhamo-nos, fomos deitar-nos.

 

Observe que as orações são independentes sintaticamente, e nenhuma é iniciada por conjunção.

 

Orações Coordenadas Sindéticas:

 

São cinco as orações coordenadas sindéticas, que são iniciadas por uma conjunção coordenativa. Uma oração coordenativa sindética estabelece uma relação de sentido com a situação apresentada na outra oração:

 

Aditiva: Estabelece uma relação de soma, de adição.

Conjunções: e, nem, mas também, mas ainda.

 

Não só reclamava da escola, mas também atrapalhava os colegas.

 

Obs.1: As conjunções coordenativas aditivas não estabelecem relação de soma tão somente entre orações, mas entre termos de uma mesma oração também. Tomemos como exemplo estes versos de Manuel Bandeira:

 

Vi ontem um bicho / Na imundície do pátio / Catando comida entre detritos / Quando achava alguma coisa, / Não examinava nem cheirava: / Engolia com voracidade. / O bicho não era um cão, / Não era um gato, / Não era um rato. / O bicho, meu Deus, era um homem.

 

Observe que a conjunção nem liga dois verbos: examinava e cheirava. Nesse caso há, portanto, um período composto por coordenação, em que a primeira oração (Não examinava) é coordenada assindética, já que não há conjunção alguma; e a segunda oração (nem cheirava), coordenada sindética aditiva, já que está encabeçada pela conjunção nem.

 

Agora observe os seguintes versos: O bicho não era um cão, / Não era um gato, / Não era um rato. Há também um período composto, no qual todas as orações são coordenadas assindéticas, pois nenhum é encabeçado por conjunção alguma. Esse período composto pode ser transformado em período simples, pois o mesmo verbo é repetido duas vezes. Basta eliminar a repetição e substituir o advérbio não dos dois últimos versos pela conjunção nem, que não ligará orações, mas sim termos da mesma oração: O bicho não era um cão, nem um gato, nem um rato.

 

Obs.2: As orações coordenadas sindéticas aditivas não são isoladas por vírgula, a não ser quando os sujeitos de ambas as orações forem diferentes ou quando forem repetidas, como no exemplo dado acima:

 

- "Toda a casa era um corredor deserto, e até o canário ficou mudo."

 

Adversativa: Estabelece uma relação de oposição, de idéia contrária à da outra oração. As orações coordenadas sindéticas adversativas sempre são isoladas por vírgula, estejam no início do período, no meio ou no fim dele.

Conjunções: e, mas, porém, todavia, no entanto, entretanto, contudo.

 

Sempre foi muito estudioso, no entanto não se adaptava à nova escola.

Estudei tanto, e não fui aprovado.

 

Observe, nessa última oração, que a conjunção e não é aditiva, pois ela estabelece uma relação de oposição entre as orações. Por isso a vírgula separando as orações.

 

Alternativa: Estabelece uma relação de opção, de escolha, de alternância.

Conjunções: ou, ou...ou, ora... ora, quer... quer.

 

Estude, ou não sairá nesse sábado.

 

Conclusiva: Estabelece uma relação de conclusão da idéia contida na outra oração.

Conjunções: logo, então, portanto, por isso, por conseguinte, pois (esta, após o verbo ou entre vírgulas). As orações coordenadas sindéticas conclusivas sempre são isoladas por vírgula, estejam no início do período, no meio ou no fim dele.

 

Estudou como nunca fizera antes, por isso conseguiu a aprovação.

 

Explicativa: Estabelece uma relação de explicação. As orações coordenadas sindéticas explicativas sempre são isoladas por vírgula, estejam no início do período, no meio ou no fim dele.

Conjunções: porque, que, pois (antes do verbo).

 

Conseguiu a aprovação, pois estudou como nunca fizera antes.

Não corra, que o piso está escorregadio.

 

Muito cuidado com a conjunção pois, pois ela pode ser explicativa ou conclusiva. Quando for explicativa, ficará entre as duas orações, que serão separadas por vírgula:

 

- O relógio não enferruja, pois é de ouro.

 

A conjunção pois estabelece o sentido de explicação: explica o porquê de o relógio não enferrujar.

 

Quando a conjunção pois for conclusiva, poderá também ficar entre as duas orações, mas entre vírgulas, ou no final do período, com vírgula:

 

- O relógio é de ouro, pois, não enferruja.

- O relógio não enferruja; é de ouro, pois.

 

Em ambas as orações, a conjunção pois estabelece o sentido de conclusão, podendo, então, ser substituída por qualquer outra conjunção conclusiva:

 

- O relógio é de ouro, portanto não enferruja.

- O relógio é de ouro; não enferruja, então.

 


Siga o Gramática no Twitter