Gramática On-line | Por Prof. Dílson Catarino

373 textos cadastrados no site da Gramática On-line

Anuncios Google
Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Gramatica

Encontre o que procura no Buscapé!

Pesquise preços de Gramatica

www.BuscaPe.com.br

Ultima atualização: 12 NOV 2009

/ DÚVIDAS

Agente da passiva x complemento nominal

Professor, nas frases A casa está suja de terra", O pátio está cheio de alunos, A rua está coberta de sujeira, pode-se pensar em agente da passiva, mesmo não havendo às vezes particípio? Ou seriam complementos nominais os termos preposicionados de terra, de alunos, de sujeira? E na frase Maria sujou a casa de terra, o termo preposicionado seria um adjunto adverbial, já que o verbo sujar é transitivo direto? Seria a mesma coisa que Maria sujou a casa com terra? Grato! Jádson. 


Olá, Jadson,

Haverá voz passiva quando o sujeito sofrer a ação, que é praticada pelo agente da passiva. Deve-se, portanto, analisar qual termo pratica a ação sofrida pelo sujeito para saber se há agente da passiva. Se não houve o AP, e houver um termo preposicionado, deve-se analisar donde provém esse termo e qual a sua função na oração: 

- Se ele provier de um substantivo abstrato, de um adjetivo ou de um advérbio, complementando o sentido desses termos, será complemento nominal. Quando houver complemento nominal, a preposição será exigida pelo subst. abstrato, pelo adjetivo ou pelo advérbio (Como saber se um termo exige preposição? Pesquisando num bom dicionário de regência nominal);
- Se ele provier de um substantivo abstrato, sendo elemento agente deste ou se provier de um substantivo concreto, qualificando-o, será adjunto adnominal; 
- Se ele provier de um verbo transitivo indireto, será objeto indireto;
- Se ele provier de um verbo qualquer e indicar uma circunstância (tempo, modo, lugar, instrumento, causa, etc.), será adjunto adverbial.

Vejamos as frases apresentadas por você:


- A casa está suja de terra: O sujeito é "a casa". Quem sujou a casa? Não há resposta, portanto não há agente da passiva, pois a oração não está na voz passiva (Terra não sujou a casa, e sim alguém sujou a casa com terra). Como não há voz passiva, não há locução verbal passiva, e sim verbo de ligação (está) e predicativo do sujeito (suja). O termo "de terra" é adjunto adverbial de meio (também chamado de adjunto adverbial de instrumento), pois foi o meio usado para sujar a casa.



- O pátio está cheio de alunos: O sujeito é "o pátio". Quem enche o pátio? Resposta: "os alunos", que é, portanto, agente da passiva. A voz ativa correspondente é a seguinte: "Os alunos enchem o pátio". "Cheio" é o particípio irregular de encher. O particípio irregular é usado na voz passiva e como adjetivo; o particípio regular (enchido) é usado na voz ativa. Por exemplo: "Os alunos têm enchido o pátio todos os dias".
se a frase fosse a seguinte: "O pátio está cheio de terra", "de terra" não seria agente da passiva, e sim complemento nominal, pois o adjetivo 'cheio' exige a preposição 'de'. Como saber se um adjetivo exige preposição? Usando um bom dicionário de Regência Nominal.



- A rua está coberta de sujeira: O sujeito é "a rua". O que cobre a rua? Resposta: "sujeira", que é, portanto, agente da passiva. A voz ativa correspondente é a seguinte: "A sujeira cobre a rua". "Coberto" é o único particípio de "cobrir", usado na voz passiva, como adjetivo e na voz ativa.



- "Maria sujou a casa de terrra" e "Maria sujou a casa com terra": O sujeito é "Maria". É sujeito agente, pois pratica a ação. A oração está, portanto, na voz ativa. O verbo "sujar" é transitivo direto, e "a casa", objeto direto. O instrumento (ou meio) usado para sujar a casa foi "terra", que é, portanto, adjuntoo adverbial de instrumento (ou meio).

Siga o Gramática no Twitter