publicidade

Pesquisar no Site


Dica do professor Dilson Catarino

Papais Noéis

Veja mais
A língua no dia a dia
Voltar

Silabadas: erro de pronúncia, especialmente o que consiste em deslocar o acento tônico da palavra.

27/08/2014

             Esses dias me perguntaram por que muitos brasileiros não dominam a Língua Portuguesa adequadamente, ao que respondi que, além da falta de acesso à educação formal, o problema poderia estar no próprio estudo da gramática: estuda-se para ‘passar de ano’, não para aprender a falar correta e fluentemente, como ocorre com o estudo de outras línguas. Quem estuda Inglês, Espanhol ou Francês, faz isso para falar a língua fluentemente, não apenas para conseguir a nota suficiente no final do ano.

 

           Evidentemente, isso traz problemas ao falante, principalmente agora com a Reforma Ortográfica, que eliminou o trema dos grupos que, qui, gue, gui. Como pronunciar as palavras quiproquó, quinquênio e quinquídio? pronunciam-se como em tranquilo e cinquenta, ou seja, o u fica na mesma sílaba que a vogal posterior a ele. A propósito, o significado de quiproquó, dentre outros, é “confusão, equívoco”, quinquênio, período de cinco anos, e quinquídio, período de cinco dias.

 

            A Reforma nos deixou outros problemas de pronúncia: os verbos negociar e premiar podem ser pronunciados “eu negocio e premio”, como em “eu copio”, ou “eu negoceio e premeio”, como em “eu passeio”. Os verbos terminados em “–guar, -quar e –quir” podem ser pronunciados “eu águo”, como em “água”, ou “eu aguo”, como em “possuo”.

 

            Algumas palavras em que há o grupo “ui” trazem bastante dificuldade aos cidadãos que usam a Língua Portuguesa, os chamados lusófonos: gratuito, fortuito, intuito, circuito. Essas duas letras devem ser pronunciadas na mesma sílaba, com o u levemente mais forte que o i, como ocorre com muito. O vocábulo fluido tem duas pronúncias: se for substantivo, pronuncia-se como as citadas; se for o particípio do verbo fluir, tem acento agudo no i: fluído.

 

            Outras palavras apresentam dificuldades quanto ao timbre da vogal tônica. Por exemplo, a palavra grelha tem a vogal tônica e aberta, como em férias; crosta, bodas e poça têm a vogal tônica fechada, como em rosto; obeso, ileso e obsoleto admitem as duas pronúncias: com o e fechado ou aberto; molho com som aberto, como em eu olho, significa “conjunto de coisas unidas”, como em molho de chaves; molho com som fechado, como em o olho, significa “caldo em que se refogam iguarias”, como em molho de tomates.

 

            Além disso, há também a dificuldade em se saber qual a sílaba tônica. Têm a última sílaba tônica, como em furor, a palavra condor, e, como assim, a palavra ruim. Têm a penúltima sílaba tônica, como em canjica, a palavra rubrica, como em suporte, a palavra recorde, como em o troco, a palavra filantropo. Tanto podem ter a última quanto a penúltima sílaba tônica as palavras reptil ou réptil, projetil ou projétil, xerox ou xérox, zangão ou zângão. Outro fato interessante é que zangão se pluraliza zangãos ou zangões e zângão, somente zângãos. Têm a antepenúltima sílaba tônica as palavras lêvedo e ínterim.

 

E, finalmente, as últimas dificuldades quanto à pronúncia: bandeja e caranguejo não têm i, como em queijo, por isso se pronunciam como em vejo; mendigo e mortadela não têm “n”, como em eu vingo e arandela”, por isso se pronunciam como em eu digo e cadela; privilégio tem i na primeira sílaba, e não e, e empecilho tem e, e não i.

           

              São muitas as dificuldades. Quem deseja falar adequadamente, de acordo com as regras, tem de se esforçar e pesquisar bastante em livros de gramática e em dicionários. Para quem se dispuser a isso, desejo bons estudos!

© Gramática On-line • 1999 - 2017• Todos os direitos reservados ao autor. Proibida cópia total ou parcial dos conteúdos.